No ano lectivo que acaba de ter o seu início, a Escola Secundária da Ribeira Grande e a Escola Secundária das Laranjeiras desenvolverão o projecto piloto de disseminação dos recursos técnico-pedagógicos elaborados no decurso da Acção 3 do Projecto EQUAL - Agir para a Igualdade, do Programa de Intervenção Comunitária Equal.
Este projecto, sob a coordenação da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional (CGTP-IN), tem vindo a ser desenvolvido desde Outubro de 2001 e dividiu-se em três fases. A primeira decorreu até Abril de 2002; a segunda, de Outubro de 2002 a Dezembro de 2004 e a terceira iniciou o seu desenvolvimento em Março de 2006, encontrando-se, ainda, a decorrer.
A ideia da aplicação destes materiais pedagógicos em escolas surgiu na sequência do desafio lançado, à CGTP-IN, pelo Gabinete de Gestão EQUAL. Este foi imediatamente agarrado com muita determinação e entusiasmo pela Fenprof, que, através da sua Comissão de Igualdade entre Mulheres e Homens, mobilizou os dirigentes dos seus sindicatos para contactarem com escolas e apurarem a sua disponibilidade para integrarem um projecto desta natureza nos seus Projectos Educativos de Escola e Planos Anuais de Actividades. É neste contexto que surge a Metodologia Agir para a Igualdade nas Escolas - AIE.
Após a auscultação feita às escolas, o Sindicato dos Professores da Região Açores, afecto à Fenprof, solicitou à Secretaria Regional da Educação e Ciência uma reunião, a fim de serem apresentados, por Odete Filipe, representante da CGTP-IN e Coordenadora Nacional do projecto em questão, e pela representante regional da Fenprof, Luísa Cordeiro, que acompanhará as escolas envolvidas, o projecto e os seus objectivos. A referida reunião ocorreu no dia 29 de Junho e contou com a presença da Directora Regional da Educação e Ciência.
Compreendendo a pertinência da temática e a importância da escola como um espaço privilegiado para a mudança de mentalidades, reconhecendo que, de facto, esta matéria é um imperativo comunitário e nacional, e sendo 2007 o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, o interesse demonstrado pela SREC traduziu-se na assinatura de um protocolo de parceria activa com a CGTP-IN. Deste modo, nesta fase, a nova parceria é constituída pela Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional - CGTP-IN (entidade interlocutora, por se ter candidatado ao projecto), pela Federação Nacional dos Professores - FENPROF, pelo Centro de Formação e Inovação Tecnológica - INOVINTER, pela Escola Profissional Bento Jesus Caraça, pela Secretaria Regional de Educação e Ciência - SREC, nos Açores e pela Secretaria Regional da Educação e Cultura - SREC, na Madeira.
Os objectivos que norteiam A Metodologia Agir para a Igualdade nas Escolas, que poderá ser desenvolvida em contexto de sala de aula ou em espaço extracurricular, são os seguintes:
 

- formar novas mentalidades, introduzindo a análise de género, como conceito operatório, na acção pedagógica e no relacionamento social;

- dotar os/as professores/as de instrumentos de apoio à intervenção pedagógica na área da Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens, assim como proceder à respectiva sensibilização;

- reforçar a criatividade e a capacidade crítica dos/as alunos/as.

Ao nível nacional, catorze escolas aderiram ao projecto, nas quais se incluem as duas de S. Miguel e três da ilha da Madeira.
Já decorreram, em Lisboa, na sede da CGTP-IN, duas reuniões da Parceria de Desenvolvimento, uma a 4 de Julho, onde se fez a contextualização do projecto e se definiu as actividades a desenvolver, e a outra, no passado dia 28 de Setembro, onde se tratou da composição da Parceria e do seu funcionamento, tendo sido feito, também, o ponto da situação do desenvolvimento do projecto e discutidos o seu acompanhamento e avaliação.

Em S. Miguel, a acção de formação em Igualdade entre Mulheres e Homens no Trabalho e na Vida, que constitui o arranque do processo, decorreu de 03 a 07 de Setembro, teve a duração de 30 horas e envolveu 25 professores das duas escolas secundárias envolvidas neste projecto, a das Laranjeiras e a da Ribeira Grande. Foram já apresentadas propostas de trabalho nesta área que são um bom prenúncio daquele que será desenvolvido ao longo do ano. Uma palavra de incentivo para estas duas escolas que não hesitaram em cooperar neste projecto, dando, assim, um contributo essencial para a construção de uma sociedade mais equitativa e, por isso, mais justa, onde as pessoas vivam mais felizes.