Caro(a) Colega
No início de mais um ano escolar, o Sindicato dos Professores da Região Açores felicita todos os Professores e Educadores que, apesar das dificuldades, continuam corajosamente a abraçar e a dignificar a sua profissão. O SPRA manifesta ainda a sua inteira disponibilidade para apoiar todos os docentes não só a cumprirem com os seus deveres profissionais mas também a reivindicarem e a exigirem o respeito pelos seus direitos que, ano após ano, são constantemente delapidados por Governos que subjugam tudo e todos às preocupações economicistas de curto prazo, sendo disso exemplo as recentes alterações impostas ao nosso Estatuto, apesar de termos conseguido, na Região, minimizar os seus efeitos, ao salvaguardarmos, entre outros aspectos, a carreira única.
Embora se tenha registado alguma agitação social decorrente da decisão de encerramento de algumas escolas, em que as anunciadas preocupações pedagógicas por vezes se confundem com as de natureza administrativa e financeira, prevê-se que a abertura do ano lectivo decorra com aparente normalidade, dada a colocação atempada da maioria dos docentes, uma vez que já não existem grupos carenciados, tendo ficado sem colocação mais de nove mil dos docentes que concorreram à fase de contratação.
Nos contactos formais e informais que os Dirigentes e Delegados do SPRA mantêm com os colegas, sente-se, porém, que o descontentamento, o desânimo e a falta de motivação perpassa toda a classe, desde os mais novos que se vêem confrontados com o espectro do desemprego crescente num país em que o défice cultural é enorme, aos mais velhos porque se sentem frustrados nas suas expectativas em relação à aposentação, com longas carreiras contributivas que, em alguns casos, podem atingir 47 anos de descontos, não deixando igualmente indiferentes todos os demais que ainda têm um longo percurso profissional a desempenhar, por se sentirem cada vez mais desrespeitados e constrangidos, envoltos em formalismos e burocracias que em nada contribuem para alterar o desejado sucesso educativo e melhorar a qualidade da educação e do ensino.
Não obstante estarmos a viver o maior ataque de sempre aos serviços públicos e ao movimento sindical desde a instauração do regime democrático, não podemos deixar-nos abater perante a adversidade, precisamos de ganhar confiança e esperança certos de que nada é imutável e de que, em unidade, conseguiremos alterar o rumo dos acontecimentos.

Não podemos desacreditar e desmobilizar nos momentos mais complexos e difíceis. As conjunturas políticas vão alterar-se e os Educadores e Professores hão-de reconquistar o estatuto que merecem na sociedade.

O Presidente do SPRA
Armando António Dutra