Siga a ligação para participar votando no "Pirata da Educação" 
 
 
O Sindicato de Professores da Região Centro anunciou hoje a criação do Prémio "Pirata da Educação", destinado a galardoar quem, para os docentes, foi a "figura sinistra" da área educativa no ano passado.
"Trata-se de um prémio na lógica inversa à do Melhor Português, Melhor Professor ou mesmo os óscares da Academia [de Hollywood]. Pretende-se premiar aquele que mais se evidenciou pela negativa na área da Educação no ano de 2006", revelou o Sindicato de Professores da Região Centro (SPRC) em nota à Imprensa.

A estrutura sindical pretende, com o galardão - cujos premiados serão divulgados em Junho -, apurar responsabilidades e penalizar responsáveis políticos pelo que considera "verdadeiros actos de pirataria que desvalorizam a escola pública".
Destes, o sindicato destaca a "tremenda confusão" nas colocações de docentes, o encerramento de escolas ou as sucessivas sentenças de tribunais que obrigam o Ministério da Educação (ME) a repetir exames do Ensino Secundário.

Frisando que os professores, "melhor do que ninguém" sabem quem são os responsáveis, o SRPC pretende que os docentes se envolvam na escolha do vencedor do Prémio "Pirata da Educação 2006" e na atribuição de quatro "menções vergonhosas", a atribuir nas categorias "Santa Ignorância", "O Machado Doirado", "Nem Ao Diabo Lembrava" e "Língua de Serpente".

Oito docentes dos seis distritos da região Centro - Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu -, de vários sectores do ensino e em diferentes situações profissionais integrarão o júri responsável pela pré-selecção de três nomeados por categoria a concurso, cuja lista será posta à votação junto dos professores.

O lote de candidatos à nomeação, sustenta o SPRC, poderá incluir "figuras políticas nacionais ou regionais, preferencialmente com responsabilidades na área da Educação" e outras pessoas, entre as quais comentadores políticos.

A divulgação e atribuição dos prémios será feita a 06 de Junho, na Noite do Professor, evento de convívio que o SPRC promove há 20 anos.
Lusa - 2007-02-06

Justificação para a criação do Prémio:

Na Educação tem valido de tudo um pouco sem que se assumam responsabilidades e se conheçam os responsáveis políticos. Daí que a Educação esteja como está: muito mal.

Recordam-se episódios recentes:

- A tremenda confusão nas colocações de docentes, que fez atrasar o início de um ano lectivo e, mais recentemente, o desaparecimento de 1.500 vagas num concurso público para ingresso e transferência nos quadros;

- O encerramento de escolas deixando alunos, que passam todo o dia deslocados de suas casas , sem condições de acolhimento;

- As sucessivas sentenças de Tribunal que obrigam o ME a repetir exames do Ensino Secundário, depois da Ministra ter recusado, na Assembleia da República, essa repetição;

- O lançamento desastrado das designadas Actividades de Enriquecimento Curricular, sem regras, que estão a provocar situações de profunda desigualdade entre escolas, alunos e docentes;

- A eliminação das colocações cíclicas e a transferência para as escolas, duplicando o tempo necessário para a colocação de um professor substituto;

- O corte de professores nos apoios educativos, que deixou milhares de alunos sem apoio que, agora, procura compensar-se com o recurso a docentes sem qualquer formação específica;

- (.)

Quem assumiu a responsabilidade por estes verdadeiros actos de pirataria que desvalorizam a Escola Pública, retiram qualidade e credibilidade ao ensino público e degradam as condições de trabalho nas escolas?! Ninguém! É também por essa razão que a Educação em Portugal continua na cauda da Europa.

É necessário que se apurem as responsabilidades e penalizem os responsáveis políticos. É necessária uma cultura de avaliação, não só sobre os profissionais - permanentemente sujeitos à crítica e acusação por parte dos responsáveis do ME - mas sobre os responsáveis que chegam, fazem mal e partem como se nada fosse com eles.

Os professores, melhor do que ninguém, sabem quem eles são, por isso, o SPRC vai apelar-lhes a que se envolvam na escolha de quem merece receber o Prémio Pirata da Educação 2006, bem como as 4 Menções Vergonhosas que serão atribuídas.

Objectivo: Conhecer quem é que, na opinião dos educadores e professores da região centro, foi a figura Sinistra da Educação, no ano 2006.

Entidade Organizadora: Sindicato dos Professores da Região Centro (SPRC).

Mecanismo do Concurso:

1) Será constituído um júri de oito docentes de diferentes sectores de ensino/educação, diferentes situações profissionais e de diferentes distritos da região centro;

2) Esse júri fará uma pré-selecção de 3 nomeados por categoria em concurso, que poderão corresponder a figuras políticas nacionais ou regionais, preferencialmente com responsabilidades na área da Educação. Poderão ser, ainda seleccionadas outras pessoas, tais como comentadores políticos;

3) Durante os meses de Fevereiro, Março e Abril a lista de pré-seleccionados será amplamente divulgada junto dos docentes da região centro, sendo pedida que cada um vote no nome que considere o justo vencedor da respectiva categoria;

4) No dia 6 de Junho de 2007, na Noite do Professor (iniciativa de convívio que o SPRC promove há 20 anos), serão divulgados os premiados.

5) O SPRC convidará os premiados para participarem na Noite do Professor e, aí, receberem os Prémios. Em caso de impossibilidade, poder-se-ão fazer representar por familiar que não se envergonhe de assumir a relação.

6)De qualquer forma, o SPRC garante o envio dos prémios aos que, com eles, forem justamente distinguidos.

Constituição do Júri de Pré-Selecção:

Educador de Infância; Professor do 1º Ciclo; Professor do 2º Ciclo; Professor do Ensino Secundário; Professor da Educação Especial; Professor do Ensino Superior; Docente Desempregado; Docente Aposentado (será garantida a representação dos seis distritos da região centro).

O Prémio Pirata da Educação 2006 distinguirá quem for considerada, pelos educadores e professores da região centro, a figura mais Sinistra da Educação em 2006, de cuja acção e intervenção pública tenham resultado maiores prejuízos para os profissionais docentes e para a qualidade do ensino e que mais tenha contribuído para a desvalorização da Escola Pública.

Ao mesmo tempo que é apurado o/a vencedor(a) deste Prémio de Sinistralidade, serão apurados(as), também os vencedores de 4 Menções Vergonhosas, que correspondem a prémios de sinistralidade complementar, distribuídas pelas seguintes categorias:

A- Categoria "Santa Ignorância": por manifestações públicas, sistemáticas, de ignorância sobre os problemas da Educação.

B- Categoria "O Machado Doirado": aprovação de medidas ou manifestações de apoio relativas ao abate de escolas.

C- Categoria "Nem ao Diabo Lembrava": pela proposta ou medida mais disparatada.

D- Categoria "Língua de Serpente": pela prática continuada de ofensas e injúrias contra os profissionais docentes.


Prémios, propriamente ditos

:

Prémio Pirata - Um Pirata, pp dito.

Menção Vergonhosa A - Uma Espada de Madeira Carunchosa

Menção Vergonhosa B - Uma Perna de Pau Carcomida

Menção Vergonhosa C - Um Gancho (prótese da mão) de Latão

Menção Vergonhosa D - Um Papagaio das Antilhas Sem Penas


Coimbra, 6 de Fevereiro de 2007
A Comissão Executiva