Nos dias 29 e 30 de Janeiro de 2007, realizaram-se mais dois Plenários Sindicais, promovidos pelo SPRA, nas ilhas do Faial e Pico, que contaram com a presença de mais de uma centena de Educadores e Professores.
 
Feita a análise comparativa entre o ECD Nacional e a Proposta de ECD Regional, subsiste o sentimento geral de insatisfação e desalento face à desvalorização material e social da profissão docente.
 

 

Apesar de mais de 90% dos docentes presentes estarem receptivos a uma Proposta de Estatuto Regional que se diferencie pela positiva, continua a existir, como denominador comum em todos os Plenários, um manifesto desagrado, sobretudo em duas questões essenciais: regimes de faltas e de avaliação.
Sobre o regime de faltas, condenam a posição radical da Proposta da SREC, ao considerar as faltas por doença como um factor de impedimento à progressão na carreira, mesmo quando o docente tenha dado provas de ser um bom profissional.
Os Professores consideram ainda inadmissível que à limitação dos 5 dias a utilizar por conta do período de férias se juntem outras restrições de natureza burocrática que inviabilizam a sua utilização, não dispondo de outro meio legal para justificar eventuais ausências de curta duração ao serviço, que resultem de situações imprevistas, dado que a proposta alternativa da SREC, para estas situações, além de arbitrária, é demasiado redutora.
 
Quanto ao processo de avaliação de desempenho, consideram-no demasiado burocratizado, subjectivo e exigente, dada a multiplicidade de dimensões em que se exige a intervenção do docente.
 

Apelam, por isso, à moderação e ao bom senso do Secretário Regional da Educação e Ciência no sentido de verem melhorada a Proposta de ECD Regional, porque há que conciliar o dever profissional com o desenvolvimento de uma Sociedade que se quer humanizada.