"Que os responsáveis pela educação no nosso país possam ter pensado em esmagar assim os professores é sinal de que qualquer coisa de incompreensivelmente absurdo se está a passar nas suas cabeças"

"Não é atafulhando o tempo (dos professores) com oito horas diárias, nem cortando as "pausas" - de que precisa como de pão para a boca - que se formarão docentes competentes. Parece haver uma preocupação obsessiva com a quantidade (em todos os domínios) no ME, que o torna cego às virtudes da qualidade. Que os responsáveis pela educação no nosso país possam ter pensado em esmagar os professores é sinal de que qualquer coisa de incompreensivelmente absurdo se está a passar nas suas cabeças".


José Gil, ensaísta e filósofo, "Courrier Internacional" (de uma peça intitulada O "bom" professor)