2

 

NOTA INFORMATIVA

 

O Tribunal de Contas foi hoje, dia 30 de outubro, notícia ao comunicar o fim da sustentabilidade da ADSE já para o próximo ano. Ora, parece que não “bate a bota com a perdigota” – há apenas quatro anos, a mesma instituição, o Tribunal de Contas, informou que a ADSE estava sobre financiada e recomendou ao Governo que os subscritores, em vez dos atuais 3,5%, deveriam pagar apenas 2,1%, que seriam suficientes para financiar o referido sistema.

 

Esta “cambalhota” verificada num espaço de tempo relativamente curto deixa-nos algumas perguntas:

 

  • A recomendação feita ao Governo em 2015 foi mal sustentada e o estudo não foi devidamente exaustivo e, por isso, a recomendação foi precipitada?

  • O atual estudo pecou por excesso e prevê a falta de sustentabilidade precocemente?

Em qualquer dos casos, o Tribunal de Contas, instituição que a Constituição prevê como independente e que, por isso, deveria estar blindada a interesses obscuros, sejam eles do Governo ou de grupos económicos, parece-nos ficar muito mal nesta viragem de cento e oitenta graus no espaço de quatro anos…

 

Angra do Heroísmo, 30 de outubro de 2019

A Direção