imagem

imagem 2

 

 

 

 

 

A partir de amanhã, os professores estão em luta.

 

A toda as propostas dos sindicatos, a toda a argumentação adusida, o governo recusou tudo, "não se mexeu um centímetro".

 

O Governo não quis evitar a greve que os professores iniciarão amanhã, dia 13, e se prolongará até dia 16. Para a evitar, bastaria que o governo respeitasse a Declaração de Compromisso que assinou e acolhesse a recomendação da Assembleia da República de que todo o tempo deverá ser contado.

 

A FENPROF reafirma as suas posições negociais, conforme constam da propostaque entregou no Ministério da Educação no passado dia 2 de março: 

 

  • Recuperação do tempo de serviço, em processo faseado entre 2019 e 2023, dando, dessa forma, sustentabilidade ao processo;

  • Recuperação média anual de 20%;

  • Garantia de, até final de 2019, todos os docentes terem, pelo menos, uma progressão.