As Áreas Sindicais de S. Miguel, da Terceira e do Pico reuniram hoje, 1 de novembro, feriado roubado pelo Governo da República, os delegados sindicais, sob a orientação dos seus Coordenadores, Nuno Fonseca, Fernando Vicente e António Dutra, respetivamente.

 

Em análise, estiveram matérias como a importância redobrada que assume o delegado sindical neste contexto de ataque aos direitos laborais arduamente conquistados; concursos do MEC, na RAA e na RAM (impedimento à mobilidade interna, vagas, prova de acesso,…); Programa de Rescisões por Mútuo Acordo de Docentes integrados na Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário, dos estabelecimentos de educação ou de ensino dependentes do Ministério da Educação e Ciência; Mobilidade Especial/Requalificação Profissional para os trabalhadores dos quadros da Administração Pública; ponto da situação da revisão do ECD na RAA; funcionamento da Educação Especial/Intervenção Precoce; falta de recursos humanos e apoios pedagógicos; inadequação dos manuais escolares às Metas Curriculares, entretanto, introduzidas; lecionação da Educação Física no 1.º CEB; rede escolar da ilha Terceira, entre outras.

 

Sobre a mesa, estiveram, também, problemas vividos quotidianamente nas escolas, testemunhos preciosos para o desenvolvimento da nossa ação sindical.

 

A proposta de Orçamento do Estado para 2014, aprovada, hoje, na generalidade, esteve em foco, como não poderia deixar de ser, pela brutalidade das suas medidas, que não são inevitáveis, pois a CGTP-IN, central sindical à qual o SPRA é afeto, tem propostas alternativas concretas, bem mais equitativas, que o Governo, por opção ideológica, insiste em não adotar.

 

A luta é que é a resposta inevitável a este ataque! Por isso, foi feito um alerta de mobilização para a Greve Geral da Administração Pública, já no próximo dia 8 de novembro, contra as políticas de ataque à Administração Pública, de degradação das funções sociais do Estado e de empobrecimento dos trabalhadores portugueses, em defesa da Escola Pública de qualidade, da profissão de Professor e de um Portugal com futuro.

 

Os presentes solidarizaram-se com a grande Concentração em Lisboa, na Assembleia da República, que decorreu hoje, pelas 10 horas, contra a aprovação, na generalidade, do Orçamento do Estado para 2014.

 

Foi um dia de trabalho intenso e profícuo, que, certamente, trará reflexos positivos na ação a desenvolver pelo SPRA, junto dos Professores e Educadores, na defesa da profissão docente e do sucesso educativo dos nossos alunos. 

 

 

 

1 de novembro de 2013