A Educação tem vindo a ser desvalorizada pelos governos, o que, nos últimos dois anos, é verificável não só pelos elevados cortes que foram feitos nos orçamentos do setor, mas também pelas medidas que dão suporte às opções orçamentais, reduzindo a qualidade da escola pública, as condições de trabalho e de exercício da profissão, agravando horários de trabalho, aumentando o desemprego e a precariedade, destruindo as carreiras e depreciando as condições remuneratórias.

É, pois, num contexto de recessão económica e social que a FENPROF convoca todos os docentes portugueses para o combate contra o prosseguimento desta política depressiva ao serviço de imposições de ordem financeira externa, aplicadas de forma agravada pelo governo.