Como já é hábito, os concursos do pessoal docente promovidos pelo Ministério da Educação discriminam os docentes do quadro ou em exercício de funções nas Regiões Autónomas. Por via do formulário electrónico, os professores contratados nos Açores têm sido impedidos de colocar a sua avaliação e têm tido inúmeros problemas na validação dos uploads dos documentos probatórios. Também os docentes opositores ao DCE foram impedidos, uma vez mais, de realizar o concurso por via electrónica.

O SPRA denunciou os problemas verificados ao ME e à Secretaria Regional da Educação e Formação e solicitou a sua intervenção junto do Ministério da Educação.